...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Tirinha Pra Gente Grande #28


sábado, 15 de setembro de 2012

Conhecer novos mundos



A humanidade sempre teve um pequeno problema com proporções, geralmente se procuram muitas saídas para o longe, para o grande, para o desconhecido que está atrás das coisas que vemos a todo momento. Outros mundos, outras terras, outras dimensões, outros seres... É uma diversidade de lugares até então inexistentes que as pessoas no auge de sua curiosidade irracional procuram para tentar explicar e completar suas próprias vidas. Uma busca algumas vezes insana, mas em sua maioria branda, com aquele espírito lacrimejando e esperando por ver o que esta além do que já está se vendo, as vidas e as pessoas vão agindo assim, em uma eterna espera por universos que completem suas vidas.

Esse é um pequeno problema de “proporções”, a busca pelo que lhe parece grande em termos físicos, tão grande que nem se sabe ao certo realmente existir. Talvez ninguém pare para pensar que esse mundo gigantesco não esteja tão longe, ou pareça tão grande olhando superficialmente, talvez os maiores, mais complexos e fascinantes universos estejam ao seu lado, talvez seja o universo particular da pessoa que passa por você na rua. Dentro da complexidade em torno das mentes de cada uma dessas pessoas diferenciadas que circulam por esse mesmo mundo físico em que você vive.

Conhecer as particularidades simples de cada pessoa pode aos poucos tomar conta do seu mundo, e fazer com que as suas dimensões aumentem cada vez mais tomando proporções impensáveis, indo muito além das dimensões racionais que todos tanto buscam... Apenas sentindo o sabor de conhecer um pouco do universo particular de cada uma das milhões de pessoas fascinantes que provavelmente estão procurando  o mesmo que todos nós... Motivos para sorrir sem motivo.

E onde estão esses mundos tão complexos?
Nas sensações que cada musica trás em uma mente escondida, na forma como cada um arruma e classifica suas roupas no guarda-roupa, no medo que cada história de assombrações causa no seu peito, na primeira palavra que alguém pronuncia todos os dias quando acorda pela manhã, na classificação das musicas dentro dos seus CD`s, na respiração ofegante quando os pulmões não conseguem mais o ar, nas frases de efeito que surgem nas mentes a cada cena desolada, na forma como cada solitário prefere sua xícara de café, na expressão que se faz quando fecha os olhos a noite, a paixão por dinossauros, as coleções de objetos sem sentido... Essas fontes são tão infinitas quanto podemos imaginar, ou até mais do que uma só mente seja capaz de construir.

São os mundos de cada um, esses universos que cada pessoa cria dentro da sua própria vida e que geralmente é desconhecido ao resto da humanidade, ou apenas ignorado em meio a tantas buscas por algo mais distante. Quando se começa a perceber a existência desses lugares escondidos dentro das outras pessoas, que é possível entender e alcançar verdadeiramente novos universos, tão fascinantes e complexos quanto aqueles que sonhamos encontrar a distancias tão maiores. É preciso não apenas enxergá-los, mas também senti-los quando estes estão próximos de você e procurá-los quando não estão, buscar entender ou ao menos saborear a sensação que cada uma das pessoas fantásticas que caminham pela terra é uma das chaves para abrir as portas de outras dimensões.

O universo pode ser infinito dentro das mentes e sensações que cada um consegue criar em seu próprio mundo e isso não precisa estar preso a si, é a capacidade de perceber esses fantásticos e complexos detalhes que se consegue ir além às dimensões racionais. O seu mundo físico pode ainda ser limitado, e talvez apenas o mundo de outras pessoas possa acabar com os seus limites. Talvez o certo é parar de procurar extraterrestres, mortos vivos ou seres celestiais para completar nossas vidas e buscar mais encontrar os detalhes e o mundo da pessoa sentada ao lado... Ou não.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...