...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Só mais um pouco de Neblina



A consequência de vinho barato e músicas ultrapassadas de artistas que hoje não são lembrados, pois não fizeram parte da elite da elite da música; Tal como Beatles ou Rowling Stones. Também a consequência dessa vontade de utilizar algumas palavras diferentes, e me utilizar dessa forma de linguagem que me faz tão bem, por falar de tal maneira que se destaca no meu próprio interior e se inerte acima do que vocês leem. Isso é que me faz bem.

Portanto aconselho-me a continuar...

Andava, e meu corpo ultrapassava por entre a neblina, a noite começava a saltar por trás das gotículas geladas que borram o ar, enquanto a diferença que haveria no céu e na retina dos olhos não se sobressaía. Afinal nos dias de inverno e frio a ponto de esbranquiçar até mesmo o ar, as estrelas tiram momentos pra si, em algum lugar por entre suas próprias luzes, e assim deixam que os platônicos aqueçam suas almas apenas com lembranças, e o escuro não se torna tão escuro. Talvez o próprio dia não tenha se tornado tão claro ou o entardecer tenha sido mais confortante.

Cada passo parecia a gota de um oceano, e a cada suspiro sentia o frio abater minhas narinas enquanto o ar se misturava a neblina, dispersando sua forma mais concentrada por meio da imensidão de outros ares semelhantes. Maldito esse vento que a favor dos meus passos joga meu cabelo para frente, como mais alguém a seguir o caminho mais rápido que eu mesmo, aumentando a distancia e segurando as minhas lembranças por mais tempo.

A xícara de café já havia de ter congelado, e por que o meu coração continuava a bater?

E aquele som de mais um passo, ecoando em minha mente, acompanhado de um sorriso que surgia, como intruso em um sonho antes só meu. Lábios marcantes e doces, hipnotizantes, tão próximos da minha memória e tão distantes do meu paladar. Nesses momentos que começamos confundir realidade, memória e desejos, e nesses momentos vemos o quanto é difícil matar o que não se pode tocar, mas apenas sentir, e a que ponto esse aroma começa a ressurgir na minha mente. Levando-me para lugares nunca antes imaginados... Por entre os pedaços de um coração.

...Volto a enxergar por meus olhos, já abertos o tempo todo, mas escuros, perdidos nos fleches da minha memória. E o bichando me olhando pela janela, pelos pardos, casa musgo, telhado acentuado, sentado sobre uma almofada surrada por suas unhas e um confortante aconchego nos seus olhos.

- Queria voltar a ser como você, e não se importar por estar sozinho, e conseguir fazer com que o meu próprio calor aqueça-me, vamos, conte-me um segredo... Como posso voltar a ser assim? Não! Não saia, não me deixe aqui sozinho...

domingo, 19 de junho de 2011

Snuff



Enterre todos os seus segredos na minha pele
Desapareça com inocência, e me deixe com os meus pecados
O ar ao meu redor ainda me parece como uma gaiola
E o amor é apenas uma camuflagem para o que parece ser raiva novamente...

Então se você me ama, deixe-me ir. E corra para longe antes que eu perceba.
Meu coração está negro demais para se importar. Não posso destruir o que não está lá.
Me entregue para dentro do meu destino - Se estou só, não posso odiar
Eu não mereço ter você...
Meu sorriso foi tomado há muito tempo atrás/ Se eu posso mudar, Eu espero que eu nunca saiba

Eu ainda aperto suas cartas aos meus lábios
E as mantenho em partes de mim, partes que aproveitaram cada beijo
Eu não pude encarar a vida sem a sua luz
Mas tudo isso foi tirado... quando você recusou a lutar

Então guarde o seu fôlego, eu não irei escutar. Eu acho que fiz tudo muito claro.
Você não poderia odiar o suficiente para amar. Isso era para ser o suficiente?
E só desejo que você não fosse minha amiga, assim eu poderia te machucar no final
Eu nunca clamei para ser Santo...
Meu interior foi banido tempos atrás/ Isso custou a Morte da Esperança para deixar você ir ....

Então se quebre contra as minhas pedras
E cuspa sua empatia na minha alma
Você nunca precisou de nenhuma ajuda
Você me vendeu por inteiro para se salvar
E eu não escutarei a sua vergonha
Você fugiu como os outros
Anjos mentem para manter o controle...
Meu amor foi punido tempos atrás
Se você ainda se importa, nunca me deixe saber
Se você ainda se importa, nunca me deixe saber...




Quando as palavras de Corey Taylor, ecoam em sua cabeça … ♪♫

terça-feira, 14 de junho de 2011

Perfeição


Vamos celebrar a estupidez humana, a estupidez de todas as nações. O meu país e sua corja de assassinos, covardes, estupradores e ladrões.
Vamos celebrar a estupidez do povo, nossa polícia e televisão.
Vamos celebrar nosso governo e nosso Estado que não é nação... Celebrar a juventude sem escola, as crianças mortas... Celebrar nossa desunião.
Vamos celebrar Eros e Thanatos, Persephone e Hades.
Vamos celebrar nossa tristeza, vamos celebrar nossa vaidade.
Vamos comemorar como idiotas a cada fevereiro e feriado, todos os mortos nas estradas, os mortos por falta de hospitais.
Vamos celebrar nossa justiça, a ganância e a difamação.
Vamos celebrar os preconceitos, o voto dos analfabetos... Comemorar a água podre e todos os impostos, queimadas, mentiras e seqüestros.
Nosso castelo de cartas marcadas, o trabalho escravo, nosso pequeno universo.
Toda hipocrisia e toda afetação, todo roubo e toda a indiferença.
Vamos celebrar epidemias, é a festa da torcida campeã!
Vamos celebrar a fome, não ter a quem ouvir, não se ter a quem amar.
Vamos alimentar o que é maldade, vamos machucar um coração.
Vamos celebrar nossa bandeira, nosso passado de absurdos gloriosos. Tudo o que é gratuito e feio, tudo que é normal.
Vamos cantar juntos o Hino Nacional! A lágrima é verdadeira.
Vamos celebrar nossa saudade e comemorar a nossa solidão.
Vamos festejar a inveja, a intolerância e a incompreensão.
Vamos festejar a violência e esquecer a nossa gente que trabalhou honestamente a vida inteira e agora não tem mais direito a nada.
Vamos celebrar a aberração de toda a nossa falta de bom senso, nosso descaso por educação.
Vamos celebrar o horror de tudo isso, com festa, velório e caixão.
Está tudo morto e enterrado agora, já que também podemos celebrar a estupidez de quem cantou esta canção.
Venha, meu coração está com pressa, quando a esperança está dispersa só a verdade me liberta, chega de maldade e ilusão.
Venha, o amor tem sempre a porta aberta e vem chegando a primavera, nosso futuro recomeça.... Venha, que o que vem é perfeição.

.

domingo, 12 de junho de 2011

12/06/2011


Maldita discussão entre “eu tenho namorada” e “eu sou solteiro e posso pegar geral”

Maldita mania de se prender em imagens e subtítulos.

Maldita mania de precisar de alguém pra ser feliz, mesmo que esse alguém seja qualquer um.

Maldita mania de precisar de festas e pegação pra ser feliz

Maldita mania de usar o que os outros estão fazendo pra decidir o que vai fazer

Maldita mania de pensar que presentes em dias específicos vão mostrar o seu amor

Maldita mania de tentar causar inveja pelo fato de ser livre

Maldita mania de tentar causar inveja por não ser sozinho

Maldita mania de andar de mãos dadas apenas pra mostrar pras amigas que pegou o cara popular

Maldita mania de andar de mãos dadas pra mostrar pros amigos como ela é gostosa

Maldita mania de pensar que vai fazer alguém feliz, amando a essa pessoa mais do que a si mesmo.

Maldita mania de pensar que vai ser feliz pelo simples fato de não ter ninguém

Maldita mania de pensar que não importa o que ela pensa, mas o quanto ela é fácil.

Maldita mania de pensar que não importa o que ele pensa, mas o quanto você vai causar inveja com ele.

Maldita mania de encaixotar o amor e embrulhar com papéis vermelhos

Maldita mania de pensar que a felicidade consegue seguir um padrão

Maldita mania de pensar que as seus sentimentos precisam sempre estar visíveis ao mundo

Maldita mania de pensar que corpo vale mais do que alma

Maldita mania de tentar provar para o mundo que você está bem

Maldita mania de viver para as outras pessoas, e esquecer-se de viver para você.

Maldita mania de preferir qualquer um a estar sozinho

Maldita mania de preferir estar sozinho a enfrentar o que sente por alguém

Maldita mania de contorcer os sentimentos

Maldita mania de viver a vida tentando provar coisas ao mundo

Existem pessoas que nunca souberam o que é sentimento de verdade, ou o que é liberdade de verdade. E talvez nunca cheguem a saber,

Sentimento de verdade é aquele que você não precisa dividir com quem não importa pra você, aquele que apenas por existir já faz sentir-se bem, aquele que você não consegue mostrar ou explicar com palavras.

E liberdade de verdade é não precisar somar legiões de amigos de vidro, pra tentar se sentir mais importante, ou sair sábado à noite e confeccionar uma lista de corpos, mas saber saborear a sua própria presença, e seus poucos amigos de verdade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...