...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Abre Aspas" Pare! Analise e Reflita


Olá galera do Wômito, uma cara nova no pedaço, calma, não é um novo integrante, mas apenas uma pequena participação. Primeiramente tenho a dizer que além de um grande fã deste blog, sou também um grande admirador dessa nova geração de pensadores, que absorvem informações com tanta facilidade que acabam por encontrarem maneiras e razões para se analisar e refletir sobre conceitos e acontecimentos deste mundo tão moderno. Pois bem, me chamo Diego Zibetti, sim, sou primo do Leo, antes q me perguntem, deve ser por isso que me sinto tão apto a escrever sobre tudo de outro ponto de vista analisando crucialmente cada situação, vai ver que é de família, né Leo (ahuhau).

Bom, vamos ao que interessa, seguindo o que o título expõem “Pare! Analise e Reflita”, vou tentar explicar o que está acontecendo com essa nação de novos jovens, apesar que ainda me encontro nessa faixa etária, hoje com meus 22 anos. Praticamente desde os meus 12 anos de idade até hoje vivi e vivo dentro dessa nação e é assim que posso expor melhor a situação atual, passei tempo saindo em diversos lugares, bares, baladas, festas, encontros, enfim tudo aquilo que reúne e atrai os jovens, e analisei diversas situações, mesmo morando em Floripa, aonde rolam festas segunda a segunda , certamente vejo que não foge muito das outras cidades que também tem os mesmo hábitos.

Hoje em pleno ano de 2011 vemos que o Mundo é “dinheiro” tudo circula em volta disso, seguindo de modinhas e atribuições de personalidades como famosos e pequenas celebridades, mas o que realmente encontramos nessas festas, é o encontro de pessoas escrotas e boçais que para aparecerem fazem de tudo! Pra mostrar que são melhores do que os outros, achando que só porque tem grana ou porque são populares no meio em que vivem. Sim! É isso, já analisasse? Reparasse?Uma das coisas que analisei é que em tudo em que é festa, você encontra aquelas pessoas principalmente "rapazes" que fecham camarote e se esbaldam de bebidas caras só pra mostrar para as menininhas que podem tudo e que ali é o pedaço deles, é como se eles dissessem “Olha aqui, eu sou o popular, vem pra cá gatinhas, é hoje que eu vou me dar bem” e o pior de tudo é que essas meninas, ou melhor, dizendo essas "mulheres" que você repara passando do seu lado deixando aquele perfume todo, fazendo charme e que faz você pensar por um pequeno momento “Ah, se essa mulher pelo menos me deixa-se conhecê-la” são exatamente essas que estão lá com esses tipos de caras, que se fazem tanto e se guardam tanto para si, simplesmente pra não cair nas mãos de um qualquer, mas que no fim das contas acabam geralmente nas mãos desse caras que acham que estão impressionando só porque esbaldam dinheiro e popularidade, e as mesmas acabam caindo nas suas armadilhas. Sim armadilhas!

Pois é assim que elas se decepcionam, rola uma ficada na balada, daí uma semana depois saiu um namoro que não dura um mês!!! Ou quando cai a ficha e vê que ele não era o cara ideal que só quer saber de festa (sexo) ou pela cafajestice que a traiu com uma outra justamente em uma festa idêntica aonde ela mesma tinha lhe conhecido, e não para por ai, ela chora, se menospreza pela perda, expõem seu lado emocional para as amigas, pede e ouve conselhos, se recupera, passa um tempo e o que esse tipo de mulher faz? Volta pra mesma balada e se encanta mais uma vez por um “popularzinho” que fechou um camarote e simplesmente acha que agora vai dar certo, pode até dar, mas que isso é raro de acontecer, ah é sim!.

E depois saem falando que homem é tudo igual, mas é claro, procuram sempre o mesmo tipo de cara e não querem se decepcionar. Hoje o mundo me assusta, para tentar achar alguém tanto pra namorar ou pra uma simples amizade tem que se passar por uma análise completa dos pés a cabeça, que tipo de roupa você usa, tá na moda? Que tipo de lugares que freqüenta? Quem são seus amigos? Alguém famoso? Alguém que faz festa toda hora? Enfim falo de uma forma abstrata, pois não é assim que vemos as coisas, mas é assim que algumas pessoas pensam. Você é julgado efetivamente pelo o que as pessoas pensam de você, e não pelo o que você mesmo pensa de si, deve ser por isso que existem tantos problemas nas escolas como o bullying, o racismo de novos grupos de adolescentes, a discriminação pelos mais inteligentes, gordinhos, os mais pobres etc. Aonde chegamos? Meu Deus, na minha época de ensino fundamental não existia tantos problemas assim, todo mundo falava com todo mundo, os principais problemas era solucionáveis. E é assim que hoje vemos esses tipos de pessoas nas baladas, sem cérebro pra conversar, sem papo decente pra bater, sem a mínima consciência do que ocorre no mundo, e cada vez mais percebemos a existência dessas pessoas boçais e estúpidas, e com certeza vai refletir em um futuro próximo. Parem o mundo, que eu quero descer.

Autor: Diego Zibetti

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Meninas e Meninas


Antes de mais nada, gostaria de dizer que esse texto de forma alguma é taxativo, irônico, preconceituoso, maldoso, ou qualquer outra coisa do gênero que você possa pensar. Aliás, muito pelo contrário, até vou ser humilde em dizer que o que é escrito aqui vem da minha visão sobre as pessoas mais próximas a mim, a minha leitura baseada em um monte de percepções. E a visão previamente superficial sobre garotas que eu vejo por aí, garotas homossexuais.

Eu sempre fico analisando garotas que gostam de outras garotas, e enquanto tantas pessoas falam que é errado, que não é coisa de Deus, que elas são estranhas, vejo aqueles garotos escrotos fazendo brincadeiras maldosas pelas costas, e tudo o que essa sociedade hipócrita diz, eu penso totalmente ao contrário. Eu simplesmente acho que elas têm razão.

Eu percebo na maioria das garotas assim, uma série de características que me fazem apoiá-las. Normalmente, lésbicas curtem rock, se vestem de um jeito diferente legal e desafiador, tem personalidade forte, tem bom gosto, tem princípios e sabem o que estão fazendo e para que estão fazendo, tem conteúdo. Alguém aqui já parou pra conversar com alguma garota assim?

Elas são inteligentes! Muito mais do que a grande maioria de garotas por aí, elas tem o que falar, e muitas delas são realmente lindas, mas mesmo assim, não ficam utilizando-se disso pra ser alguém, como tantas fazem.

E o ponto que me faz ficar totalmente do lado delas é exatamente esse, e sinceramente simples. Não existe homem pra elas, porque elas são boas de mais pra esses caras de merda que existem hoje, que só querem saber de garotas gostosas, sem cérebro e sem personalidade própria. Pra andar agarrando por aí de boca fechada, porque na visão deles, garotas não precisam falar, nem ouvir, nem nada, apenas ser útil sexualmente. (só pra lembrar, eu cito a maioria, não a totalidade).

Não sei o que se passa pela cabeça dessas garotas, não sou médico, perito, não conheço profundamente nenhuma, nem nada disso, posso estar errado. Mas de qualquer forma, elas têm muito a se orgulhar, não por serem homossexuais, mas por ter uma personalidade e todas essas características que eu citei, confesso ser raro encontrar garotas assim, heterossexuais e com essas características.

Pra que se envolver com caras que não valem nada, se elas são muito melhores que isso? Se elas podem ter alguém que se pareça com elas saiba do que gostam? E com certeza sabem muito mais do que esses caras por aí que se acham os pegadores.

Acredito que boa parte do motivo de fazer esse texto, é que garotas assim me atraem muito, o que atrai, não é o fato delas serem homossexuais, mas é o conjunto delas como mulher, com exceção daquelas que se vestem de homem, a grande maioria tem um estilo muito próprio, tem gostos atraentes, tem até um certo olhar malicioso que chama a atenção.

Demonstram uma liberdade, deixam de lado aquela dependência lamentável de mulheres por homens e vice-versa, aquela coisa que acaba com a moral das garotas, com a sua natureza e personalidade, apenas por depender de alguém, e se modelar de acordo com uma força machista que elas nem percebem. Parecem mais donas de si, mais sinceras consigo mesmas, com uma atração mais própria e forte.

Só para deixar bem claro, não estou sendo generalista nem quanto a isso, só estou falando o que eu vejo e penso por muitas vezes, lembrando que falo de uma parcela dessas garotas, ainda existem as que não se enquadram em nada do que eu falei, mas sobre essas não vou falar por enquanto. Quero deixar claro, que mesmo sabendo que grande parte são garotas que eu ficaria, eu sou a favor de como são, e acredito que vocês tem razão, vale muito mais a pena gostar de garotas do que ser mais uma boneca que sai desfilando com esses retardados de hoje em dia.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Abre Aspas "O Brasil na Visão dos Americanos

Ok, provavelmente não seja a visão de todos os Americanos, mas achei muito legal essa reportagem séria sobre o Brasil que não nos tratam apenas como "o país do carnaval, das bundas e do futebol"
Segue o vídeo:


Se estiver com dificuldade de ler as legendas, clique aqui, e assista direto no Youtube (recomendo)

E aí, você concorda com essa visão de Brasil?

Fontes:
http://www.ocioso.com.br/
http://papodevagabundo.blogspot.com

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Existem mais loucos por aí


Já estava indo dormir, e o programa da Marilia Gabriela estava na TV, resolvi parar e atrasar alguns minutos do meu sono, para ver um pedaço da entrevista, naquele senário escuro e simples. Ela estava entrevistando uma mulher, uma escritora, pra ser sincero, eu não a conhecia, e ainda nem sei seu nome, mas enfim, ter parado ali, foi o tipo da coisa que fez bem para o meu espírito.

A grande maioria de tudo que está inserido na nossa TV não passa de uma bela e gigante massa escrota da sociedade, onde tudo de mais podre é colocado como normal, pessoas sem talento são endeusadas, padrões de beleza são potencializados, monstros são heróis, mentiras se tornam verdades, lavagens cerebrais são feitas nas nossas crianças, e graças a tudo isso, a cada geração que passa, somos piores. ( salvo filmes e séries, que geralmente são bons, e raríssimos programas, como o da M.G.)

É ali que as grandes merdas ganham potencia e valor, tudo de mais patético e sujo fica bonito e satisfatório, e todos sentam para apreciar . Mas são momentos como aquele que fazem sentir um orgulho, por ainda em algum lugar, escondido, uma pessoa ter a oportunidade de falar um pouco, uma pessoa de verdade, que não é especialmente famosa por ser bonita, ou porque tem um padrinho, mas pelo seu talento real, mesmo sendo minimamente ouvida.

Duas mulheres INTELIGENTES, discutindo, conversando, e mostrando o quanto toda essa sociedade é fraca e patética. Sabe, ouvir aquelas mulheres falar de politica, sociedade, modas sociais, juventude, e tantas outras coisas, me fez sentir menos sozinho, e perceber que não sou eu o monstro, que existem mais pessoas pensantes por aí, em algum lugar, abafados pela podridão da mídia. Mas elas estão lá. E irão morrer sem ter as mentes corrompidas por tudo isso.

Nesses momentos a sensação de ser um louco sozinho sai da minha cabeça, e eu me sinto orgulhoso por mandar tanta coisa à merda, doa a quem doer, porque em um país com educação putrefata e pessoas com cérebros naturalmente atrofiados, não é a maioria que sabe o que está falando! Raras são as pessoas que tem uma visão mais clara das coisas, fico feliz por conhecer algumas delas, e orgulhoso por sempre estar procurando por mais.

Aquela entrevista me fez lembrar o Blog, e a idéia de falar para quem quiser ouvir, o que nós pensamos, assim como elas faziam, em TV aberta, mulheres falando claramente como esse mundo está corrompido e podre, e mostrando a visão delas, das mudanças no tempo, das relações de interesse, da perda constante dos valores, da cegueira social, de um montante de coisas que é traduzido como a “burrice popular”.

Cada vez que conheço uma pessoa interessante, mesmo que ela nem saiba que eu a conheço, me sinto recuperado, com uma injeção de animo. E eu sei, que existem muito mais pessoas como nós por aí, perdidas em algum canto, talvez sem serem ouvidas, mas não se preocupem, nós realmente somos os loucos nessa história, loucos por não nos deixar vencer por essa massa fortalecida com a ignorância, enfim, se você, de alguma forma se identifica com alguma coisa nesse texto, junte-se a nós, e não desista de defender a sua personalidade.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

"Dubladores da pesada, aprontando altas confusões"


Bom, ontem eu estava assistindo o filme REC (clique para o trailer), filme que demorei muito tempo pra assistir devido a crítica negativa que sempre ouvi a respeito do filme, e nem o teria assistido se meu amigo Cleber Artner não o tivesse me emprestado e recomendado. Enfim, ao meu fraco entendimento, o filme é simplesmente foda, realmente me deixou com medo, como poucos filmes de "zumbis" são capazes de fazer. Ter o assistido me deixou muito feliz e reanimou minha fascinação por filmes de terror, gênero que acabei por deixar de lado devido a ausência de TERROR legítimo, filmes que no máximo me faziam rir de quão bobas eram as histórias, e quão previsíveis e clichês eram aquelas cenas. "Porra, não anda de costas não guria, todo mundo sabe que você vai se bater no monstro, ou em algum amigo seu que ta ali parado, no escuro, sem motivo aparente, esperando você se bater nele e se assustar" (eu comentando filmes). Quantas vezes você ja viu uma cena igual a essa em filmes?.
Voltando ao REC, eu achei a história totalmente plausível, convincente, e sem aqueles clichês famosos, talvez tenham se perdido um pouco na história do REC 2, mas enfim, coisa que é difícil de se ver nesse amontoado de apocalipses zumbis, muitas vezes sem explicação, que tem por aí. Devido minha completa fascinação pelo filme, tentei encontrar motivos para aquelas criticas negativas que me bombardeavam sempre que tocava no assunto REC.
Levantei algumas hipóteses, e me perguntei: "E dublado?".
Assisti o filme no idioma original (espanhol), e com legendas, como de costume; Então voltei alguns anos antes (três, pra ser mais exato) e percebi onde talvez podia estar fundamentada a crítica... na Dublagem. Eu disse talvez!
A três anos atrás eu somava mais um filme a minha lista, não me recordo o nome por ser um filme independente e acredito que poucos o conheçam. Enfim, eu estava disposto a assistir aquele filme de terror cuja sinopse havia me chamado atenção, até que me deparei com um pequeno problema: Vozes irritantes estilo novela mexicana do SBT fodendo minha cabeça! A dublagem era simplesmente insuportável... insuportável a ponto de dar dor de cabeça. Aos 20 minutos eu parei o filme, não conseguia mais assistir, e eu tinha duas escolhas nas minhas mãos: Dormir... ou assistir legendado. Eu estava com uma puta preguiça de acompanhar letrinhas debaixo da tela, então foi uma decisão difícil.
O resultado dessa escolha se reflete hoje no meu gosto por filmes, talvez se eu tivesse escolhido "dormir" naquela noite, hoje eu estaria dizendo "que merda de filme foi aquele REC".
Não sei se foi a dublagem o fato da crítica negativa, pra variar eu estou generalizando, mas uma coisa tem que ficar clara, se você não assiste filme no idioma original, você não tem direito a criticá-lo, e se o fizer, sua opinião não é válida.
Uma má dublagem pode transformar uma obra prima em um lixo. É a mesma coisa que ouvir a versão funk de "Garota de Ipanema", achar uma merda, e criticar Vinícius de Moraes e Tom Jobim, como se tivesses culpa de alguem ter interpretado porcamente sua música. A dublagem segue o mesmo conceito, é a a versão dos dubladores da história, pois depende da interpretação de quem a dubla, e se o dublador não for bom no que faz, adivinha! vai foder com o filme. Não é só questão de ser bom ou mau dublador, eu acredito que um cara dentro de um cubículo, na frente de um microfone, lendo um texto, ou com um texto decorado, não consiga passar a mesma emoção que um ator, que vive e acredita naquela cena. Não querendo desmerecer o trabalho dos dubladores, acredito que eles fazem um ótimo trabalho em filmes... pra quem tem preguiça.
O mundo dos filmes legendados também não é uma maravilha, tenho que admitir, pois depende da capacidade das pessoas que traduzem, mas convenhamos que é bem mais fácil apenas traduzir, do que tentar encaixar a palavra "Policial" no movimento labial "cop", o que acaba gerando muita adaptação nas dublagens e mudança nos textos originais. É aonde "Filho da puta" no original, vira "filho da mãe" na legenda, e "vou chutar seu traseiro daqui até o Texas" na dublagem. Não sei, Brasileiro tem mania de cortar palavrões em filmes, mas nos forçam a ver um bando de mulheres de peito de fora, mostrando até o útero, tentando nos fazer engolir essa pseudo-cultura que chamamos de Carnaval. Pra mim carnaval é bem mais ofensivo que um "filho da puta", e é esse tipo de coisa que ofende toda moral brasileira, que faz as pessoas "de fora" nos enxergarem como macacos de circo, apenas pra entretenimento.
Revoltas à parte, o ideal para o máximo aproveitamento do filme, seria se fôssemos fluentes em Espanhol (no caso de REC), mas como não sou, apelo pras legendas.

Enfim, não conheço muita gente que diga "amo assistir filmes dublado", acho que bastante gente divide a mesma opinião comigo, mas caso você não seja uma dessas pessoas, peço encarecidamente que dê uma chance pro filme original, e dê os devidos créditos a quem deu tudo de si para dar vida aqueles personagens, pra torna-los o mais real e convincente possível... e coloque uma legenda nessa porra agora!

Ps: Dubladores, não me processem.
Ps²: Parem de cortar os malditos palavrões!

Até a próxima ;*
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...