...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

domingo, 22 de agosto de 2010

Entrelaçar Destinos #6


...A festa estava cheia... Muito cheia, a música super alta, as pessoas super animadas, meus amigos já chegaram ao mesmo ritmo, foram pegando umas bebidas. E eu...bom eu só corria o olho no meio das pessoas para ver se encontrava a garota, era mesmo uma festa grande, onde você encontrava todo tipo de pessoa, menos quem estava procurando. Uma piscina, um movi Head em cada canto dela, fazendo uma iluminação psicodélica, muita cerveja, várias garrafas de Martini, o que me fez lembrar a primeira, mas nessa estavam se embebedando com ele. E um cheiro de cigarro enorme, eu já estava me sentindo Muito mal, pior do que na primeira, como eu chegaria à casa da minha namorada àquela hora da noite sem avisar, cheirando a cigarro? Chutariam-me de lá no mesmo instante, então deixei meus amigos e fui rondar a festa, entrei na casa, dei uma olhada na sala, havia duas garotas se beijando no sofá, e ao lado um cara filmando, na verdade, toda aquela festa parecia cena de filme, passei por um corredor, e fui chegar à outra sala, do lado fazendo cateto com o da piscina, lá o cheiro de cigarro era substituído por maconha, eu fui passando pela sala para sair na lateral da casa e voltar à piscina, afinal, já estava começando a pensar que nem mesmo a amiga da minha namorada teria ido à festa.


Passando pela sala, sem querer, acabei derrubando um copo com o pé, o copo estava no chão, e quando caiu, tinha cheiro de vodka de baunilha, é, essa mesmo que você está pensando, um cara veio da porta, estava com um cigarro, alto, magro, a pele com algumas sardas, um boné na cabeça, calça larga, e uma camiseta com toca, aliás, camiseta com toca é o ápice da materialização da burrice humana, toca é para o frio, camiseta é para o calor, alguém que usasse aquela roupa merecia morrer, mas deixando isso de lado, ele veio, e segurou no meu braço pra que eu me virasse em direção a ele, ele fedia a álcool...


- O playboy, essa bebida que você derrubou era minha seu merda!

- Ah cara, vai foder com a festa de bobeira, o que não falta é bebida pra você encher a cara

- O que ta faltando é eu quebrar um Playboy metido que derrubou minha bebida

- Cara, sabe de uma coisa, eu já to quase indo embora dessa festa de merda, e ninguém me conhece aqui, bebe mais um pouco e acha alguém pra brigar depois, alguém famoso, brigar com um estranho não vai te adiantar nada, tem mais desse negócio ali na mesa, enche o copo e me deixa em paz

- Você tem sorte, a minha namorada ainda vai vir aí, e ela não gosta muito da minha roupa quando eu sujo de sangue, mas não pense que vai ficar assim.


Ele ainda não estava bem bêbado, e esse tipo de pessoa só fica corajoso quando enche o cu de bebida, eu sabia que falar alto com ele faria ele não querer brigar, mas que ele iria me procurar quando estivesse bêbado, de qualquer forma, eu não estaria ali mesmo.


Então eu saí lá fora, e dei mais umas voltas, passaram mais alguns minutos, meus amigos já haviam se perdido também, e eu desanimando, então resolvi sentar como da primeira vez, afinal, havia dado sorte, sentei ao lado de um Bacardi Big Apple dessa vez, ali fiquei um bom tempo, e tudo aquilo que eu tinha imaginado começava a desaparecer da minha mente, aquela noite perfeita que eu idealizei tinha ficado para trás, na verdade ainda era cedo para festa, mas como a minha idéia não era a festa eu estava me frustrando.


Naquele momento ela já deveria estar em baixo das cobertas, estudando, ou assistindo TV, ou até mesmo dormindo, e ela nem poderia imaginar que eu estava ali tentando encontrar uma forma de chegar até a casa dela, por alguns minutos fiquei imaginando ela dormindo, aquela carinha de anjo, como se estivesse viajando pelos sonhos, abraçada a um travesseiro, e com boa parte do cabelo sobre o rosto, bom, eu fiquei tentando me satisfazer com a minha imaginação enquanto os minutos iam passando, e a minha esperança de encontrar a garota também.


Foi quando eu vi uma ruiva indo para o quiosque nos fundos do terreno, ainda lembro que era o seu cabelo ruivo da sua amiga que sempre me chamou a atenção, porque era aquele ruivo vivo e natural por cima, e mais escuro por baixo, tive a certeza que era ela, então segui com os olhos seu caminho, no momento eu me animei repentinamente, parece que a noite em fim faria sentido, e eu poderia passar um tempo com o meu amor, levantei rápido, com o copo na mão, e fui andando até lá...




Não acompanhou a história? Entrelaçar destinos #1 #2 #3 #4 #5 <~~Links

5 comentários:

  1. Hm.. As ruivas. :)
    Cada vez melhor. E é Martini OFDSOFISDOIUF *O*

    ResponderExcluir
  2. quando ta na melhor parte acaba, aah, esse suspense me mata DSIHDSOIHD

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...