...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

sábado, 31 de julho de 2010

Entrelaçar Destinos #3


...Então, realmente a festa já havia começado quando chegamos, não era uma festa tão reservada quanto imaginei, tinha um número razoável de pessoas, todas bem vestidas e animadas,algumas estavam drogadas, aliás, era o que não faltava lá, drogas e drogados, um lugar animado, pessoas animadas, música animada, e eu começando a ficar cada vez com mais vontade de estar em casa. Não é que não gostasse de sair, mas existem dias que você simplesmente queria assistir um filme e ficar em casa, existem lugares que só pioram teu mau humor nesses dias, e pessoas que te enchem o saco, e você se sente perdido no meio daquela juventude extasiada.


Felizmente olhei para um canto e encontrei a minha salvação, em uma mesa, havia Martini , não que eu quisesse me embebedar como toda a festa estava, mas é algo tão rápido na minha mente e tão automático, eu me identificava um pouco com ela. Lembrar que aquele Martini Rosé, a 300 anos atrás era bebida da realeza Italiana, até sua fórmula passar por diversas melhorias, tornar-se um dos drinks mais charmosos da Europa, chegar até a América, e por fim, ficar abandonado naquela mesa, enquanto as pessoas se preocupavam mais em se embriagar com cevada ou coisas bem mais fortes.

Lá eu finalmente me encontrei, fiquei um bom tempo sentado, apreciando aquela bebida, e de certa forma aquela alegria que transbordava nas pessoas, mesmo não compartilhando dela, meus amigos haviam se perdido. Com exceção de um, que estava ao lado da piscina conversando com uma garota.


Essa garota não estava sozinha, ao lado dela havia outra, uma expressão um pouco mais fechada, parecia não dar muita bola pra toda aquela festa, ela estava em pé, e com uma taça na mão, com certeza não era cerveja, eu tirei alguns minutos para tentar decifrá-la com os olhos, até o momento eu não sabia muito bem porquê, talvez a franja, o cabelo mais escuro nas pontas, ou a forma como se vestia, Jeans escuro, a pulseira de prata no braço esquerdo e a maquiagem que puxava os olhos para as extremidades do rosto, olhos claros, não consegui decifrar a cor, calçado preto, baixo, levemente desbotado, acho que sabem do que estou falando, eu já estava medindo sua cintura, a pele clarinha dos ombros e a mesma tonalidade no pescoço fazia contraste com a sombra dos cabelos, uma tatuagem tímida no pulso contrário ao da pulseira, depois de passar pela sua blusa vermelha e sem frescuras brilhantes percebi que já tinha me perdido no tempo, e ela já estava olhando pra mim, estava mais perto, chegando ao meu lado....



Entrelaçar Destinos #1

Entrelaçar Destinos #2


Continuação


4 comentários:

  1. Ansiosa pra saber o fim ;x haha
    você escreve muito bem Cleber!
    ;*

    ResponderExcluir
  2. Cada capitulo você me deixa mais curiosa ): AIEAOHEOIAIOA

    ResponderExcluir
  3. Realmente seus textos são muito bons. Estou anciosa para o fim desta história. Parabéns por sua criatividade Cleber!

    ResponderExcluir
  4. nossa vai vender mtos livros no futuro.... futuro não tão distante....
    parabéns.....

    Fran

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...