...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Personalidade ou Moda ##

Kurt Cobain, líder da banda Nirvana, usando camisas xadrez, camisetas listradas, tricôs largões e casacos militares que poderiam ter saído de uma lojinha de roupas doadas para caridade em Seattle. Cobain se transformou no ícone do grunge, o movimento musical que surgiu a partir da cena heavy metal de Seattle e do punk rock da década de 1970. Depois de o Nirvana chegar às massas, bandas como Pearl Jam, Alice in Chains e Mudhoney começaram a fazer sucesso, e foi aí que o look grunge passou a ser identificado.



Filas indianas, é assim que é formada a nossa sociedade, e agora vamos falar da etapa da fila onde as pessoas passam pelo setor de vestuário, assim, nessa mesma fila indiana, um após o outro, acompanhando o que o primeiro fez...







Assim chegamos ao nosso assunto, a moda xadrez, Aquelas saias que TODAS as mulheres estão usando, Aquelas camisas de flanela que TODOS os homens na moda estão usando, aqueles casacos Xadrez que as mulheres usam nas revistas, na TV, e que a 3 meses atrás custavam um quinto do preço que custam hoje, porque estão na MODA.



Hey, você fica ‘se fezendo’ aí, falando que não gosta de xadrez, mas o fundo desse blog é xadrez


É por isso que surgiu essa postagem, para abrir um pouco dos olhos de todos que usam essas roupas porque simplesmente estão na moda, abomino vocês, então, vim lhes trazer os dois motivos que salvam suas consciências por usar essas coisas, o primeiro é o básico, porque xadrez realmente é bonito, não porque está na moda, mas porque é uma textura legal, mas esse pessoal é a grande MINORIA, agora vamos ao segundo... O Significado de usar essas roupas, o ESTILO (não moda) Grunge...

Então, nos anos 90 surge como nova voz um grupo de “contracultura”. O grupo social denominado grunge surgia a partir de um novo ideal de vida, onde jovens conseguiam misturar o movimento punk com traços do movimento hippie. Essa massa popular com bases no rock e tendo como símbolo Kurt Cobain (Nirvana) trazia um ideal de vida que conciliava sarcasmo social, descaso com hierarquia e uma leva de pensamentos carregados de melancolia e desilusão, assim mantinham relações de desprendimento material, como hippies, e adoram o visual com as peças de roupa mais baratas da época, inicialmente compradas em bazares, as camisas xadrez tinham de sobreposição casacos militares surrados, acompanhados de calças jeans também velhas e desbotadas, essa sobreposiçao de texturas com a base na flanela xadrez era uma das marcas registrada desse grupo, com ideais bem definidos e ao mesmo tempo voláteis, rock marcante (Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains...), ideais pesados e descaso com diferença de poder entre voce e quem estava a sua frente.

Só para constar, na época do auge do grunge estilistas tentaram lucrar com o estilo, mas não tiveram sucesso por ser uma roupa realmente restrita, que poucos tinham AUDÁCIA de usar, e por não ficar rolando de mão em mão entre as pessoas que não sabiam do que se tratava.

Esse era o estilo com roupa barata comprada em brechós que está hoje sendo usada por muitos como mais uma modinha, assim, espero que essa garotada da geração colorida se for usar uma flanela xadrez pelo menos saiba um pouco de onde ela veio, cada um veste o que quer, que isso fique bem claro, mas não coloquem símbolos no peito sem saber de onde vem, tenham essa decência.

Mas pra ser bem sincero, esse monte de gente vazia aproveitando a modinha pelas ruas me enche. Mal vejo a hora do verão voltar, pra que usem novamente suas calças coloridas e deixem as marcas de uma geração com personalidade em paz.


domingo, 27 de junho de 2010

Até Parar de Bater...

Foda-se a minha fome, fodam-se meus trabalhos a fazer, foda-se o meu sono agora, e tudo o que eu mais tenho pra fazer, eu simplesmente preciso escrever primeiro, com certeza nada inovador, ou nada que mostre alguma opinião ou qualquer coisa dessas. Eu preciso simplesmente falar, falar pra ninguém, ou pra alguém, ou pra mim mesmo, ou ao menos registrar para que eu mesmo possa ler quando isso passar.

Então, para ser menos choroso, vou optar por metaforizar, e lhes lembrar de sonhos, ou algo assim, aliás, ao sonhar você se coloca em algum lugar melhor do que qualquer outro que possa ter ido, e ao sonhar acordado você pode ir tão longe quanto, e sentir coisas tão inovadoras e maravilhosas quanto no mundo dos sonhos. Então, as coisas vão acontecendo, e você vai percorrendo o sonho, vai acompanhando tudo o que ele lhe trás, e isso vai ficando em você.

Você chega a aquele mundo inovador, sente frios incalculáveis, aquele arrepio doce sente gostos no seu paladar sem se quer tocar algo com a boca, se vê com asas e sentindo vento nos cabelos sem sair do chão, e sem tocar as nuvens, você pode sentir sua textura, consegue reconhecer rostos acalentadores em crianças na rua, e a sentir mais forte o cheiro das flores, ou admirar a lua por trás das nuvens, ficar parado, e sentir-se em uma viagem no tempo, quebrando todos os limites do espaço, realmente, coisas inexplicáveis com palavras, que apenas sonhando você conheceria, ainda nem sei se estava mesmo dormindo...

E como todo bom sonho que se preze, você acorda.

Sabe, você se sente como se tivesse sido tirado de uma vida ao acordar, você tenta voltar, mas não consegue, porque ele já se foi, aquela pessoa que o trouxe não existe mais, era mesmo só um sonho, e você é obrigado a levantar.

Faz tudo o que rotineiramente faz, vai trabalhar, estudar, encontra amigos, encontra pessoas, e canta ao andar pelas ruas, sua vida normal. Você conhece pessoas, você passa por cima de coisas, aprende coisas, ouve histórias, e tudo vai entrando em uma onda de normalidade, você está bem, está realmente bem, e o sonho já ficou só como um sonho, há dias atrás, indiferente a tudo o que está na sua frente agora.

Tolo engano.

Em uma noite qualquer, ao dormir, você se depara com o mundo dos sonhos, aquele que fez seus sentimentos irem além, que lhe trouxe algo a mais, que lhe ensinou outra forma de vida, e você está lá, em frente a esse mundo, o seu sonho ao alcance dos seus olhos e sentimentos. Mas com um singelo detalhe, você!... É, Você não está mais lá, você não existe mais naquele mundo, e quando da por si, percebe que esse sonho sempre existiu em você, por mais que estivesse acordado, ele ainda estava nas suas lembranças, adormecido e esperando uma nova visita. Você percebe que definitivamente aquele mundo é real, mas foi um sonho pra você, e você está fora. O sonho vira pesadelo, pelo simples fato de você não existir mais.

Então... Estou assim, perdoem por demorar tanto uma postagem e ainda vir com essa choradeira sem sentido, mas sinceramente, ela é mais pra mim, e se alguém vier a entendê-la, saberá do que estou falando, e aguarde até isso passar em mim, virei com respostas... Prometo!

Até parar de bater, por alguém....



sábado, 5 de junho de 2010

Supermercado

Sabe, às vezes é bom dar um pouco de valor as menores coisas, e esquecer a sua vida por um momento, assim você pode vive-la de verdade.

Junho, sábado, outono gelado, vento, as pessoas bem vestidas... E eu com uma estranha solidão, estranha porque às vezes ela simplesmente não faz sentido, ela apenas está lá, e mesmo sem fazer sentido ela chega a machucar.

E nessa tarde, eu resolvo mudar de esquina, trocar a direita pela esquerda, ainda não sei bem os motivos, mas enfim, fui por um caminho mais calmo, sem pessoas na rua, sem carros com som alto, e desisti de ir encontrar os amigos e a civilização comum.

Um lugar semi movimentado, um supermercado à esquerda... E porque não entrar? Aliás, há quanto tempo não entrava em um supermercado, ando pelos corredores.E sabe, lá existem pessoas diferentes, não são aquelas mesmas que eu encontro todo dia na rua, são outras, garotas trabalhando, aquelas que eu nunca tinha visto, famílias, crianças, uma senhora de idade olhando os cereais e o garotinho tentando convencer a mãe a comprar suco dentro de uma embalagem legal... É, aquele que eu enchia o saco da mãe pra comprar!

Você fica simplesmente maravilhado como a simples escolha da esquina, e a entrada em um supermercado te levam a outro mundo. Aliás, no mercado havia uma música ambiente, e não sei por que o destino foi escolher aquela pra mim, em meio à falta de direção estava tocando “Vento no Litoral”, talvez por ser uma das minhas preferidas, ou porque tem tudo a ver com o momento, mas estava tocando.

Bom, não tem muito que falar, e isso é que é bom, porque cansamos de falar, ou de ir atrás, ou de tentar agradar, ou ficar no meio do povo, ser igual alguém, e até de ser feliz, tentar ser feliz cansa, e é assim que se é feliz...

Comprei uma lata de suco natural de laranja, cheia de conservantes, a garota do caixa era simpática, super simpática, acho que também fui, tudo tão simples e sutil, assim como esse texto, assim como o dia, e assim como tudo deveria ser, aliás, sentir o sabor de cada instante é o que vale, e às vezes a “vida social” Enche o Saco!

“ Strawberry Fields Forever...(8)... ...”


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...