...

Porque palavras não se falam... se Vomitam

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Nétlândia


Você sabe aqueles filmes, onde algumas pessoas ficam trancadas no porão, ou em algum lugar escuro, em uma casa velha, ou uma caverna, assim se obrigam a comer ratos, e restos das coisas, a pele fica esbranquiçada as roupas e dentes apodrecidos, um mal cheiro especialmente nojento e perdem toda a noção do senso de realidade. Normalmente nos filmes eles acabam virando monstros, e tentando matar as pessoas, e no fim morrem.

E agora, eu venho revelar... Eles existem!

É. Isso mesmo, e estão espalhados por todo o mundo. Com algumas diferenças em relação aos dos filmes, eles não são abandonados ou trancados, eles não tem dentes apodrecidos, e nem fedem (alguns), não tentam matar pessoas (a maioria)... aah, eles são JOVENS!

Eles ficam trancados em casa, desde criança, na frente de uma tela de computador, vendo merda na internet, ouvindo música escrota, conhecendo gente que nem existe, formando vidas de mentira, aprendendo linguagem de internet e achando que aquilo tudo é real, criando em suas mentes coisas e pessoas que são de brincadeira, e transformando seu cérebro em um monte de merda inútil. Ocasionando assim um retardamento mental em relação às pessoas do mundo real.

Para exemplificar... Vocês já devem ter visto aquele vídeo, de um cara entrevistando uma garota em um show, ela com aquele tipinho básico de garota de internet, começa a falar de uma forma digamos que “acéfala” fazendo coraçãozinho com a mão, e gestos de “emotions”, falando com linguagem de internet de forma totalmente tosca e inacreditável (se não viu, não é muito difícil de achar, não esperem que eu poste o link).

Olhando aquela cena, nos da vontade de falar “Vai se ferrar!” que merda é essa?

Isso é o retrato de uma parcela dessa geração podre (UmaPARCELA) que usa a internet em excesso, de forma burra, com coisas retardadas, não sai de casa de forma real, não procura livros, não conversa, não conhece pessoas na rua, e se tornam aqueles monstros que citei no começo, pálidos e Retardados. Pessoas de merda, jovens de merda, crianças de merda, em um mundo de faz de conta...

PS: Isso é um blog; ou seja... é internet, e defendemos todo o uso da internet, independente da finalidade, utilizamos sites de relacionamento, MSN, e todas essas coisas que ela nos proporciona, a idéia se dá em cima de pessoas que não vivem com ela, e sim... Vivem ELA.

Wmt.

domingo, 9 de maio de 2010

Abre Aspas "


Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no
ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a
menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama
este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura
por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa."fecha aspas
(Arnaldo Jabor)

PS: as Postagens "Aspas" serão basicamente idéias de alguns pensadores, que eu acho (ou tenho certeza) que vc deveria ler... e então elas estarão aqui ;) .......
Wmt.

sábado, 1 de maio de 2010

Destino

Sabe algo que você tem na tua mente, uma formulação perfeita, um quebra-cabeça definido e estruturado, mas na hora simplesmente não consegue ser expressado?

Então, digamos que o destino é algo assim pra mim. O vocabulário fica grande de mais para uma coisa tão simples, e pequeno de mais pra algo tão complexo, é! É disso que eu estou falando, essa coisa que o destino nos trás de carregar os pólos, da simplicidade com a complexidade, do bem e do mal, do perfeito com o horrível, e todas as outras imagináveis... Ou inimagináveis.

Então esse é um assunto que eu basicamente vou enrolar algumas vezes, algo que eu com certeza não trarei as mínimas respostas, aliás, ninguém poderia trazê-las. Sabemos que cada indivíduo ou grupo encara o destino de uma forma individual, muitos não acreditam, outros se entregam, e outros chamam de destino alguma coisa que consideram destino.

Acho que eu me encaixaria em todas essas idéias, até porque não vejo o destino como um indivíduo, mas acredito na sua existência, considerando uma rede de coisas que inseridas de forma unificada o trazem a tona.

O destino define-se para mim como a cadeia de coisas que acontecem em prol do teu momento nesse minuto, que não pode ser previsto, nem adiantado, e muito menos fixado, é mutável, está em suas mãos, mas ao mesmo tempo não está, porque são mãos de mais relacionadas a ele.

Tudo bem, você não acredita em destino, acha tudo isso uma merda que só serve pra enrolar uns idiotas, e que você é quem decide o teu destino, você que faz as escolhas, você é quem luta, e você é quem sabe o que pode ou não fazer... Tudo bem, tem toda razão, mas a partir do momento em que você vê o destino como eu isso pode mudar um pouco.

O destino é como chamamos a força que une todas as decisões que as pessoas tomam, e vem de encontro a sua vida, o qual você não pode fazer nada. Você pode escolher entre ficar com alguém “pra sempre”, mas é esse alguém que vai escolher se quer você ou não, então outra pessoa a 200 km de distancia é quem escolhe se mudar pra sua cidade, e sabe-se lá porque é por ela que o seu amor se apaixona você fez as suas escolhas, mas as escolhas das outras pessoas derrubaram a sua, e dominaram você, esse é o destino, essas escolhas que vão se cruzando.

Você escolher ir a uma festa, mas o cara que não sabia qual gravata usar acaba saindo dez minutos atrasado, você escolhe virar a esquina a direita, e ele escolhe ir pela mesma rua pra chegar mais rápido, e bem no momento em que você escolhe passar a rua, é o momento em que falta freio no carro, é a união das tuas escolhas, com as escolhas de outras pessoas que te matam, você podia ter esperado 3 segundos pra atravessar, mas não o fez.

Naquele bendito dia em que você saiu de casa para comprar pão, naquela mesma hora, a garota na frente da padaria resolveu sair para a rua, e você encontrou alguém especial, para toda a sua vida, ou mesmo no dia em que você resolveu ir trabalhar por uma rua diferente, e deu de cara com aquele seu grande amigo, aquele que você não via há muito tempo.

Uma forma bem prática de mostrar o destino é o fato de você estar aí, existe bilhões de pessoas no mundo, seus pais poderiam ter ido pra qualquer canto e você nunca ter nascido, ou você poderia ter nascido em qualquer lugar, conhecer 10 mil pessoas diferentes, e nunca saberia que existem os seus amigos, as pessoas que você ama simplesmente não te conheceriam, e você não faria qualquer diferença, porque não estava lá, e nunca esteve, mas isso que te trouxe até eles, que fez você conhecer a pessoa que você ama que não te deixou ir a algum lugar diferente antes de tudo acontecer... Isso, você pode chamar de destino.

Você simplesmente chega à bifurcação e olha nas placas, a da esquerda, e a da direita, e escolhe um dos lados, mas a partir dali, a rua pode mudar, e você pode encontrar as outras pessoas que escolheram o mesmo caminho, esse é o destino, o que vem exatamente depois da sua escolha, pra mostrar a face real dela.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...